Battle Born (Deluxe Edition) - The Killers



♫♫♫♫♫
O rock nunca foi um gênero muito presente em minha playlist ou até mesmo em meu dia a dia, mas todo este conceito mudou quando eu finalmente conheci o mais novo trabalho da banda norte americana, The Killers. Já tinha ouvido falar deles, mas como sempre nunca tinha parado para ouvir sequer uma música, até o dia em que me falaram que Battle Born era um álbum magnífico e consagrado. Então resolvi ouvi-lo e ver se ele era tudo isso que estavam comentando. Somente posso dizer que fiquei impressionado com a perfeição de Battle Born! Suas músicas carregam consigo uma energia tão positiva e levam até o ouvinte o que é o rock alternativo de verdade! A banda formada por Brandon Flowers no vocal, Ronnie Vannucci na bateria, Mark Stomer no baixo e Dave Keuning na guitarra, conseguiu emplacar o quarto álbum de suas carreiras na terceira posição da Billboard 200, e na Europa, chegaram ao topo de várias paradas de diversos países, inclusive na UK Charts, Reino Unido. Somente na primeira semana, Battle Born vendeu 113 mil cópias! Um ótimo marco comercial. Confira agora, faixa a faixa deste inesquecível álbum.

01 – Flesh and Bone: A faixa introdutória é sem dúvida uma das minhas preferidas, por somente ter me atraído com sua batida contagiante e irreverente, acompanhados de um vocal ousado e em total sincronia com a melodia.  A partir dela, eu já estava sabendo que podia esperar grandes surpresas durante a o decorrer do álbum. 5/5

02 – Runaways: Chegamos a minha canção favorita, e se não me engano, a melhor de Battle Born. Runaway’s foi e ainda é o meu maior vício musical por enquanto. Além de ter sido uma perfeita escolha transformá-la em single, possui um refrão que por incrível que pareça, não sai da sua cabeça. Foi através dela que eu fui ficando cada vez mais impressionado com o The Killers. Em menos de dois dias, eu já havia escutado 33 vezes esta música. Essa é com certeza o melhor rock que já ouvi! Recomendo! 5/5!

03 – The Way It Was: O que mais me chamou atenção nesta música foi novamente o ousado e contagiante vocal de Brandon, que faz a canção se tornar cada vez mais especial, enriquecendo bastante o material apresentado. 5/5

04 – Here With Me: Dentre todas, essa é a faixa mais linda do álbum, trazendo consigo uma letra bastante romântica e emocionante. Simplesmente me apaixonei de primeira por ela. Escolhida como terceiro single, Here With Me possui um clipe totalmente diferente dos já lançados, com uma bela mensagem. Não tem como não se encantar com a beleza desta música! 5/5

05 - Matter of Time: Contagiante é a palavra ideal para representar esta canção. Por mais que tente, você não consegue ficar parado ao ouvi-la. A interação dos integrantes da banda é um dos aspectos mais relevantes, onde o refrão não deixa passar por despercebido. Ô ô ô ô ô ô. 5/5.

06 – Deadlines and Commitments: A sexta faixa de Battle Born foi a que inicialmente menos me atraiu, sei lá, a melodia não me conquistava, mas à medida que eu fui ouvindo cada vez mais o álbum, comecei a gostar cada vez mais dela. A sincronia entre o baixo e a guitarra foram o essencial para torna-la especial. 4/5

07 – Miss Atomic Bomb: Aclamada pelos críticos como melhor música do álbum, Miss Atomic Bomb fez jus a vitória, apresentando um tranquilo e inesquecível ritmo que irá conquistar qualquer apaixonado pelo gênero alternativo. Ainda fico impressionado com a tamanha criatividade e determinação da banda na hora da produção das canções. 5/5


08 – The Rising Tide: Confesso que não é uma das minhas preferidas, mas acrescento que mesmo assim, ela não deixa de encantar o público com suas batidas cativantes e um acordo entre a guitarra e o vocal. Não é a toa que a banda conquistou milhares de fãs pelo mundo todo! 4/5

09 – Heart of a Girl: Não consigo expressar meus sentimentos quando eu ouço esta música. É tão calma e viciante. Sempre que chego a esta faixa presto o máximo de atenção em sua melodia que às vezes me lembra um hino natalino, e uma das letras tão linda como Here With Me. 5/5!

10 – From Here On Out: Radical? Acho que esta seria a palavra exata. Não consigo ficar parado assim que ela começa a tocar, e aumento o volume no máximo. Apesar de ser um pouco curtinha, ela promete não deixar ninguém desapontado. Magnífica! 5/5!

11 – Be Still: Outra canção calma que explora cada vez mais o vocal do Brandon e o desafia a um acordo com os diversos instrumentos musicais. Na primeira vez não curti muito, mas com o tempo fui me acostumando e acabou se tornando uma das minhas preferidas. 5/5

12 – Battle Born: A faixa título não poderia ser diferente das outras já apresentadas. Mas um aspecto me chamou bastante atenção, que foi o intendo uso da guitarra, que trouxe um estilo marcante para a música. Não passo um dia sem escutá-la, por ser tão cativante e inesquecível, admitindo um importante papel no conjunto musical do álbum. Eu amo essa banda!!! 5/5!

13 – Carry Me Home: A primeira música da edição deluxe, é mais uma que me conquistou de primeira. Não tem como esquece-la, até porque a sua letra é tão legal e bem trabalhada. E seu refrão como sempre, viciante. Carry me home, I’m not afraid...  5/5.

14 – Flesh and Bone (Jacques Lu Cont Remix): Nunca fui fã de remixes, até porque eu considero eles um pouco desnecessários em um álbum que possui um estilo totalmente diferente, mas como ele foi feito pelo  Jacques Lu Cont, que é um grande especialista neste assunto, acabou que o remix não tirou a beleza de Flesh and Bone, fazendo com que eu a ouvisse sem nenhum questionamento. 4/5

15 – Prize Fighter: O The Killers escolheu uma ótima música para encerrar o álbum. Prize Figther é tão especial como qualquer outra que aqui foi mostrada. Seu estilo é um pouco diferente, mas até chega a ser engraçada, com barulhos de ringues e sinos de luta, acompanhados de um trompete, se não me engano. 5/5

Pelo visto vocês devem ter percebido que eu amei o álbum e simplesmente virei fã da banda. Mal posso esperar para o lançamento de novos singles (espero que seja Battle Born), e assim também quero conhecer os seus álbuns e trabalhos anteriores. Sei que não vou me arrepender. Somente neste dia em que fiz a resenha, escutei Battle Born cinco vezes, acho que nunca fiz algo assim antes. Rsrs. São tantos os artistas do gênero alternativo que eu sou fã, Lana Del Rey, Foster The People, Florence + The Machine, Ellie Goulding, Marina and The Diamonds e agora The Killers. É tão emocionante. 

Fiquem com o clipe de Runaways

Nenhum comentário:

Postar um comentário